Foto: Luciana Carneiro/Prefeitura de Niterói

Referência, unidade tem cerca de 22% dos pacientes de outros municípios
Procedimentos realizados no hospital da Zona Norte são eletivos e de baixa e média complexidade

Apenas este ano, 200 crianças já foram operadas no novo Centro Cirúrgico do Hospital Getúlio Vargas Filho, o Getulinho, no Fonseca, Zona Norte de Niterói. A unidade passou a realizar cirurgias eletivas nas especialidades de cirurgia pediátrica geral, ortopedia e cirurgia plástica após a reforma e ampliação, um investimento de mais de R$ 20 milhões da Prefeitura de Niterói. O hospital virou referência no Estado do Rio de Janeiro e cerca de 22% dos pacientes operados são de outros municípios. A nova emergência, que reabriu em julho de 2016, atendeu quase 80 mil crianças e realizou mais de 500 mil procedimentos – cerca de 40% dos atendidos são de outras cidades.

É o caso do pequeno Luan, de 3 anos, que passará por cirurgia no hospital ainda este mês. Sua mãe, a dona de casa Vânia de Sousa, 42 anos, conta que o menino recebeu a indicação para a cirurgia de sua pediatra, em São Gonçalo, onde moram, mas não conseguiu atendimento na cidade.

“A pediatra o encaminhou para o cirurgião. Fui duas vezes no hospital público da minha cidade, no intervalo de um mês, mas não consegui marcar nem para conversar com o especialista. A situação complicou, viemos na emergência do Getulinho e ele já recebeu a indicação de cirurgia por aqui mesmo. Em apenas uma semana ele já foi avaliado pela cirurgiã, está fazendo os exames, e a operação está marcada para o fim do mês, já que ele está gripado. O atendimento no Getulinho é excelente, passa muita segurança para a mãe”, elogia Vânia.

A operadora de Caixa Giovana Pacheco, de 18 anos, continua levando o filho, Richard Paulino, de 3, no Getulinho mesmo após a mudança para São Gonçalo.

“Todo atendimento médico do Richard é realizado em Niterói. Ele já passou por uma cirurgia, realizada no Orêncio de Freitas, e agora vai fazer a segunda aqui no Getulinho. Na primeira cirurgia fiquei muito nervosa, mas agora estou tranquila porque já conheço os profissionais e tenho muita confiança”, explica a mãe.

Diretor da unidade, Rodrigo de Oliveira explica que as cirurgias realizadas no Getulinho são eletivas, ou seja, procedimentos simples, onde se consegue escolher a melhor data para se realizar a operação, sem caráter de urgência ou emergência. Os procedimentos são realizados após exames, que são feitos para obter as melhores condições de saúde do paciente.

“A criança chega ao hospital através da central de regulação, com suspeita de caso cirúrgico e logo é avaliada pelo cirurgião. Dessa maneira conseguimos aumentar a dinâmica de cirurgias da unidade”, esclarece.

Fonte original – www.ofluminense.com.br/pt-br/cidades/getulinho-realiza-200-cirurgias-no-1%C2%BA-semestre#undefined.xiqq