Estamos comemorando o aniversário do SUS. São 33 anos de um sistema de saúde dos mais complexo do mundo, que, mesmo com todos os problemas, atende a maior parte da população brasileira.

– Manter o funcionamento do SUS é fundamental para garantir atendimento à saúde das pessoas mais vulneráveis. É um direito garantido pela Constituição. – Afirma a médica Raquel Araújo de Carvalho, da Clínica da Família Bárbara Starfield, em Del Castilho.

A doutora Raquel analisa, ainda, a importância do SUS:

– Na Estratégia de Saúde da Família, que o objetivo é a prevenção, podemos assistir às pessoas em todas as fases, seja criança, dona de casa, trabalhador ou idoso. Podemos levar qualidade de vida e evitar que pessoas adoeçam ou que doenças já existentes se agravam. Com isso, menos leitos hospitalares são ocupados. A população assistida pela Estratégia de Saúde da Família cria um vínculo de confiança com os profissionais e com todo o sistema.

­– Devido à pandemia, as visitas dos agentes comunitários de saúde e demais profissionais ficaram prejudicadas. A quantidade grande de casos de Covid-19 que aparecem aqui fez com que os profissionais ficassem mais na unidade. Temos uma área separada para atender suspeitos da doença, e com todo o cuidado para que a unidade não fique lotada.  Continuamos dando assistência à linha de atendimento primária, como gestantes, puérperas, crianças menores de um ano, diabéticos dependentes de insulina, hipertensos descompensados, idosos e acamados; e as demandas de urgência/emergência que vão chegando, cumprindo todas as medidas sanitárias exigidas.

– Com a pandemia, pudemos ver a integralidade do SUS. Vimos pessoas que perderam o emprego, o poder aquisitivo e planos de saúde recorrendo ao SUS. Estamos sendo abraçados por esses novos usuários. Muitos serviços que os convênios de saúde não cobrem, as pessoas conseguem no SUS.

– O SUS precisa ser defendido, precisa ser amado. Porque é de todos e para todos. A maior riqueza do brasileiro é poder contar com o SUS, independente de quem seja. O SUS dá assistência a uma pessoa que quebra o pé na rua, que sofre um acidente, que precisa de uma cirurgia de alta complexidade, que oferece as vacinas para as crianças. Isso é o SUS, é Brasil. Viva o SUS! – Completa Raquel.