A Clínica da Família Estácio de Sá, da AP 1.0, recebeu, hoje (08/11), a visita do Ministro da Saúde Marcelo Queiroga, do Secretário de Atenção Primária à Saúde (SAPS), do Ministério da Saúde, Raphael Câmara e do Secretário Municipal de Saúde do Rio de Janeiro Daniel Soranz.

O encontro foi para a assinatura da portaria de financiamento e credenciamento de equipes para atendimento nas clínicas da família. O Secretário de Saúde Daniel Soranz comunicou a retomada dos serviços ofertados aos usuários pelas unidades de saúde do município, prejudicados pela pandemia. Soranz informou o retorno de 280 equipes de saúde da família, das 400 equipes anteriormente existentes, e espera que em 2022 retornem as demais.

A atenção primária é a porta de entrada para o Sistema único de Saúde, o SUS. São 150 milhões de pessoas cadastradas no SUS e, no país, há mais de 50 mil UBSs.

– As clínicas da família são um orgulho nacional. Se estamos avançando na vacinação, isso se deve às equipes das clínicas da família. Já fizemos a aplicação de 11 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19. Hoje, estamos recebendo 300 mil doses da vacina da AstraZeneca e 170 mil doses da vacina da Pfizer, do Ministério da Saúde. – Informou Soranz.

Daniel Soranz agradeceu a dedicação de todos os profissionais da Clínica da Família Estácio de Sá e, principalmente, a gerente Cely Alves Vargas, que está à frente da unidade há mais de oito anos.

O Secretário de Atenção Primária Raphael Câmara parabenizou o desempenho da cidade do Rio de Janeiro na captação de usuários e nos atendimentos feitos pelas clínicas da família. A portaria dará recursos para aumentar as contratações de médicos, enfermeiros e outros profissionais necessários para o incremento dos serviços.

– A atenção primária nunca teve tantos recursos como agora. Em janeiro e fevereiro, teremos outro credenciamento, uma nova portaria, e o Rio de Janeiro, pelos critérios técnicos, está em segundo lugar para receber mais recursos. – E o secretário Raphael ainda completou:

– Fortalecendo a atenção primária, a gente consegue evitar casos mais custosos à atenção especializada, ou seja, é um gerenciamento melhor dos recursos.

O Ministro Marcelo Queiroga, após assinar a portaria, agradeceu a todos os profissionais presentes, que fizeram do SUS uma fortaleza no combate à pandemia, a maior emergência sanitária do mundo.

– A melhor forma de amenizar esse sofrimento que estamos passando é fortalecendo a atenção primária. Nós precisamos levar um atendimento de saúde de qualidade aos brasileiros. Reduzindo os fatores de risco graves, como hipertensão arterial, tabagismo entre outros, podemos diminuir o número de mortes. Investindo na atenção primária, menos pessoas irão buscar atendimento na atenção especializada, que é muito mais custosa. Com atenção primária forte, todos ganham. – Finalizou o ministro.