Lançamento do livro Covid-19 Reflexões em Prosa e Verso em Angra dos Reis

Angra dos Reis, ontem (26/09), viveu um momento histórico com o lançamento do livro “Covid-19 Reflexões em Prosa e Verso”. Estiveram presentes autoridades do município como o prefeito Fernando Jordão, o Secretário Municipal de Saúde Glauco Fonseca de Oliveira, o Secretário de Governo e Relações Institucionais Cláudio Sírio (Ferreti), a vereadora Titi Brasil, ex-pacientes, ex-funcionários do Centro de Referência Covid-19 Angra dos Reis, e representantes do Instituto Ideias.

No livro, 62 autores entre ex-pacientes e profissionais de saúde narram o impacto da Covid-19 em suas vidas. São relatos emocionantes de perda, de superação, de fé, de aprendizado e de esperança que a vida venceria.

– Desde o início do Centro de Referência COVID-19, sabíamos que não seria fácil. Se voltarmos ao dia 27 de março de 2020, dia da inauguração dos primeiros leitos, vamos lembrar do medo que estávamos da pandemia, porém enfrentamos com medo mesmo, fomos corajosos e como bons guerreiros não demos nem um passo atrás. No primeiro momento, pensamos em um livro técnico, porém percebemos que o relato diário das experiências vividas pelos corredores, o choro contido, o sorriso com os olhos por detrás das máscaras, eram mais fortes. Podíamos organizar esses relatos para ficarem registrados no tempo e na história. – Comentou Patricia Neves, ex-diretora executiva do CR Covid-19 Angra dos Reis.

Com a voz embargada, o secretário Glauco Fonseca declarou:

– Passei longas madrugadas na Santa Casa (CR Covid-19 Angra dos Reis). Não conseguia ir pra casa e dormir, impactado como o mundo inteiro com aquela situação. Atendemos mais de 28 mil pessoas com sintomas de covid. Infelizmente, cerca de 600 não sobreviveram. Este livro é um relato importante para a nossa cidade.

Alguns ex-pacientes estavam presentes, como Arilson Bitencourt que leu trechos do seu depoimento no livro.

– “Dia 29 de abril de 2021, dei início a uma batalha pela vida, cheguei no Centro de Referência Covid-19 com saturação de 70%, muito fraco e preocupado. (…) Fiquei entubado durante dez dias, sendo que o primeiro dia foi no dia do meu aniversário. (…)

Durante meu processo de intubação houve complicações e tive uma parada cardiorrespiratória da qual fui ressuscitado durante dois minutos e meio. (…) Fui transferido para a UI, para aguardar a alta. Ali, lembrei de uma frase de um enfermeiro: “Você já caminhou várias horas, agora só restam dez minutos para ir pra casa”. – Leu emocionado, Arilson.

 – Tenho plano de saúde, mas não pensei duas vezes e fui ao Centro de Referência de Angra dos Reis. Minha mãe também esteve internada lá. Hoje, vi que tomei a decisão certa. Agradeço a Deus, por ter me poupado e colocado em minha vida pessoas maravilhosas que não desistiram de mim. – Declarou, Arilson.

Rolar para cima