Pandemia: nova realidade que exige novas atitudes

Ninguém estava preparado para essa emergência sanitária mundial. Um vírus novo que demandou vários estudos e mudanças de comportamento.

A OMS (Organização Mundial de Saúde), no início de 2020, determinou o isolamento social como medida protetiva de transmissão do coronavírus. O Isolamento gerou um gatilho para algumas questões de saúde mental.

Nós somos seres totalmente sociáveis, com o isolamento social fomos contra nossa natureza. O Brasil, dentro da américa latina, é um dos países com maior taxa de sofrimento em saúde mental, como transtornos de ansiedade e depressão. Com a pandemia, a população brasileira sentiu os reflexos do isolamento e das perdas de amigos e familiares para o vírus.

O Brasil foi o quinto país com maior sofrimento psíquico durante a pandemia. Tivemos aumento de pessoas vulneráveis, aumento de desemprego, medo da infecção, perdas de vidas.

Fiquem atentos aos sinais como: alteração de humor, irritabilidade, insônia, sentimento constante de impotência diante do vírus, tristeza sem causa aparente, medo excessivo. Podem ser sintomas de adoecimento psíquico.

O isolamento trouxe consequências como a auto medicação; a falta de prática de exercícios físicos (academias e espaços públicos fechados); transtornos alimentares; agravamentos de diabetes e hipertensão; e violência doméstica. Aliás, o número de mulheres que procuram o serviço de psicologia nos ambulatórios é maior que o de homens. Acreditamos que o isolamento forçado, com crianças em casa, longe das escolas, o desemprego, maridos em casa, a mudança de rotina doméstica influenciou o estado emocional das mulheres, consideravelmente.

Estamos voltando, aos poucos, com a normalidade. Com o avanço na vacinação, os casos graves de covid estão reduzindo. Aos poucos, as pessoas estão voltando ao ritmo normal de vida. Recomendo que busquem ter lazer, passear e viajar.

Volte à rotina de exercícios físicos. Tenha uma alimentação saudável, evite o tabaco e os excessos com bebidas alcoólicas. Busque ter boas noites de sono. Restabeleça seus laços afetivos, busque seus amigos e familiares. Mentalize que esse período pandêmico irá passar. E não esqueça de procurar uma unidade de saúde para consultas de rotina.

Estabeleça metas de vida. Planeje o futuro. Isso ajuda a superar os transtornos mentais causados pela pandemia. Seja feliz!

Ana Lúcia Torres, psicóloga do CMS Ariadne Lopes de Menezes e da CF Hebert José de Souza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima